Impressão 3D, fabricação aditiva e motivos para adoção dessa tecnologia

Impressão 3D, fabricação aditiva e motivos para adoção dessa tecnologia

A fabricação aditiva levou centenas de anos para chegar ao estado atual de desenvolvimento. O início do processo de fabricação foi pelo método substrativo, há 8000 anos atrás - como corte na pedra com instrumentos básicos. Um exemplo de processo aditivo pode ser encontrado na Ásia ocidental, usando diferentes tipos de materiais e juntando eles para a criação de cestas. Outro exemplo é há 26 anos atrás, descoberto por acidente em uma fábrica da Kodak e está se tornando na tecnologia referida agora como "Impressão 3D".

Fabricação aditiva é o processo de criar objetos sólidos tridimensionais a partir de modelos digitais. Impressão 3D é alcançado com o uso de processos aditivos, quando um objeto é criado pela sobreposição de diversas camadas de material. A impressão 3D é considerada diferente das técnicas tradicionais, como o processo substrativo, que se baseia na remoção de material por corte ou perfuração.

Estamos agora em um ponto em que podemos comprar fábricas de impressão aditiva por 1.200 euros (3.140 reais) na Europa - embora esses produtos sejam voltados principalmente para usos caseiros. Em 25 anos, nos movemos de simples mateiriais orgânicos para a construção de peças para aviões - avanços possíveis por uma tecnologia de fabricação mais eficiente e durável.

Então o que leva empresas a adotar fabricação aditiva?

Simples, a possibilidade de produção econômica de baixo volume é a maior atração. Se você olhar para a linha de desenvolvimento e fabricação de um produto, verá diversos recursos para pesquisa marketing: produza e, então, veja se o produto pode vender. Com fabricação aditiva você pode aperfeiçoar isso ao testar o mercado. As economias potenciais nas fases de produção e pesquisa podem ser investidas em outras áreas da empresa como marketing para o novo produto.

Fabricação aditiva ainda não irá substituir processos tradicionais de fabricação para aplicações de grandes volumes.

 

Os principais negócios para adoção de fabricação aditiva são:

1. Produção econômica de baixo volume.

2. Maior liberdade geométrica.

3. Maior funcionalidade das peças fabricadas.

4. Personalização de produtos.

5. Maior sustentabilidade ambiental.

6. Novas linhas de fornecedores e modelos de venda.

 

Os usos mais comuns de fabricação aditiva até o presente momento estão focados em produtos personalizados como capas para iphone, ou itens de alto valor para o mundo da arte ou da moda e fashionistas. Porém, há aplicações em crescimento como modelagem arquitetônica.

 

Permitindo produção de baixo volume

Fabricação aditiva permite a produção economicamente viável de formas complexas em baixo volume e reduz ao mesmo tempo a necessidade de ferramentas como moldes e lâminas de corte. Também reduz o capital de investimento e de inventório.

 

Fabricação aditiva também permite a produção de formas complexas como:

- Re-entrâncias.

- Paredes de espessura váriavel.

- Hexágonos complexos.

- Furação não-linear.

- Estruturas de filigranas.

- Estruturas orgânicas/genéticas.

 

Curtiu? Então conheça outras formas de comercialização da impressão 3D! E aproveite também para saber porque é importante a diversificação e exploração de novos mercados! A FESPA Brasil está aqui para revelar soluções incríveis de comunicação visual, grandes formatos, estamparia digital, decoração de vestuário, sinalização e sinalização digital.