Artigo drupa Essentials of Print - Impressão Digital conduzindo a inovação na impressão têxtil

Artigo drupa Essentials of Print - Impressão Digital conduzindo a inovação na impressão têxtil

Por Ron Gilboa

Por décadas, a impressão digital para a indústria fashion, de decoração, industrial e gráfica foi relegada a amostras e impressão de baixas tiragens. Com as vantagens da inovadora tecnologia inkjet, a indústria agora está atendendo à demanda por uma produção responsável ambientalmente, designs inovadores, e a necessidade de melhoria da operação da cadeia de fornecimento. Este artigo examina as mais recentes tendências da indústria têxtil e examina as dinâmicas que as inovações digitais têm sobre sua massiva cadeia de fornecimento na indústria. Inovações em design, impressão digital, assim como corte e costura de produtos com base em têxtil.

A transformação têxtil

Assim como muitas indústrias, o mercado de impressão têxtil vem mudando para adotar inovadoras tecnologias focadas em entregar uma nova geração de consumidores, marcas, assim como a cadeia de fornecimento. Esta indústria massiva, com mais de um trilhão e meio de dólares em valor de negócios anuais no setor de vestuário e acessórios, está passando por uma transformação.

As marcas devem se ajustar para atrair uma nova geração de consumidores que compram tanto nas lojas físicas como online. Com a era digital agora como uma certeza econômica, as marcas, assim como as fábricas têxteis, precisam se adaptar. Muitas das mudanças evoluíram na última década quando houve o surgimento das primeiras soluções de produção digital têxtil de alta velocidade. As mudanças são impactantes em muitas áreas principais.

Produtividade

Um das maiores áreas na impressão têxtil que tem melhorado drasticamente é a capacidade de produzir just-in-time qualquer comprimento de tecido ou vestuário. Sem cilindro ou tela para preparar, e com o advento de sofisticadas ferramentas de workflow de automação, fábricas têxteis podem agora produzir qualquer design rapidamente - de acordo com as necessidades de designers e marcas tentando alcançar rápidas trocas de trabalho na indústria fashion. Adicionalmente, as inovações em design e gerenciamento de cores estão acelerando o processo criativo, encolhendo o tempo de criação de meses para semanas e até mesmo para poucos dias.

Criatividade

No espaço têxtil, melhorias em produtividade e design simplificado também se traduziram em maior criatividade. Com a habilidade de produzir um único item por tiragem, não há mais rico de produção em massa associado com a contratação de novos designers. Muitas marcas estão permitindo que designers iniciantes entrem na briga e concorram por reconhecimento. É comum atualmente poder encomendar alguns poucos centímetros de tecido de tradicionais fábricas têxteis ou de uma nova geração de produtores de customização em massa sob demanda.

Meio Ambiente

Por fim, a sustentabilidade segue crescendo na vanguarda da responsabilidade do prestador de serviço. Pesquisas têm mostrado repetidamente que as gerações mais jovens - particularmente a Geração Z - priorizam a sustentabilidade quando se fala de seleção de produto. Em muitos casos, esta faixa etária está desejando pagar mais para produtos que foram criados com sustentabilidade em mente. Para a indústria têxtil, isto significa uma mudança. Por gerações, os fabricantes têxteis foram considerados um grande poluidor, com 20% de perda de água produzida por fábricas têxteis globalmente.

Otimizando a cadeia de fornecimento

Agora que descrevemos amplamente a transformação do têxtil e os fatores que a conduziram, nós podemos discutir mais detalhadamente como o mercado têxtil está mudando à medida em que o volume de impressão digital de tecido segue crescendo a 19% CAGR (alcançando cerca de quatro bilhões de metros quadrados em 2022). Com tendências de produtividade e criatividade fazendo com que as empresas se adaptem a um agendamento de produção mais flexível que prioriza a diversidade de produto, é natural que melhorias venham à cadeia de suprimentos.

Integração dentro do Gerenciamento de Ciclo de Vida do Produto (PLM) Quando as marcas planejam a próxima temporada, eles geralmente recorrem ao uso de um sistema de gerenciamento do ciclo de vida do produto (PLM). Estas ferramentas são agregadoras de todos os componentes necessários para inaugurar uma nova temporada de sucesso. De gerenciamento de recursos, componentes de design, coleção e conjuntos, a padrões e fotografia de produto, estas plataformas colaborativas permitem todas as funções e processos na criação dos produtos da nova temporada - um esforço coordenado de marcas, designers, fábricas têxteis e operações de corte & costura até a logística, que leva os produtos às prateleiras ou os envia em pacotes.

Fabricação just-in-time

Enquanto a fabricação just-in-time é um termo que tecnicamente existe desde os anos 60, sua aplicabilidade cresceu nas últimas décadas. A fabricação just-in-time permite que novas empresas comercializem suas linhas de produtos para o mercado em dias ou semanas, em vez de meses. Para organizações maiores, isso significa rápida resposta às necessidades da indústria fashion para atender a demanda sazonal. Variações sazonais podem chegar às prateleiras a tempo, dando às companhias têxteis melhor habilidade para agradar seus clientes.

Impressão digital: redução em excesso de estoque e armazenamento

A mudança para a impressão digital pode também significar melhoria no planejamento do inventário, resultando em menor necessidade de grandes estoques e armazenamento. À medida em que os fornecedores de serviços se afastam das maiores tiragens e mudam para uma produção menor, variada e focada - eles são mais capazes de criar produtos que atendam as necessidades do cliente. Agora, as roupas podem ser confeccionadas conforme a necessidade e não em grandes quantidades, fazendo com que as empresas gastem menos em inventário que pode ou não pode vender. Estas capacidades deram origem a um novo tipo de fornecedor - os fabricantes sob demanda. Estas companhias usam um modelo de negócio de Compra Ativada de Fabricação, em que a produção começa apenas quando a ordem foi recebida e paga. Não há produtos acabados no armazém, apenas matérias-primas em branco.

Crescimento da fabricação sob demanda (customização em massa) Com a cadeia de fornecimento sendo encurtada usando inovadora tecnologia de impressão e avanços contínuos em workflow, novos players estão entrando no espaço nos últimos anos, empoderados por fáceis ferramentas online que tornam simples começar a vender comercialmente roupas customizadas. Eles se encaixam no uso crescente do e-commerce na indústria de vestuário como um todo, em que o crescimento contínuo irá conduzir a receitas estimadas em até US$ 145 bilhões até 2023 de acordo com a pesquisa de 2018 Statsta.

Muitas fornecedores resumem esta tendência, apontando a necessidade de customização para uma comunidade de pessoas diferentes, e em maiores escalas, atendendo às necessidades da massas com diversos produtos personalizados.

Spoonflower

Spoonflower tem operações nos Estados Unidos (Carolina do Norte) e Europa (Berlim) e atende às necessidades dos mercados criativos por muitos anos. A companhia criou uma comunidade de designers de patterns que estão ligados aos clientes na plataforma multifacetada da empresa. Eles podem customizar tecidos, papel de parede e envelopamento no site da Spoonflower, enquanto modifica os elementos de decoração da casa no site do Roostery.

A companhia utiliza a tecnologia de impressão digital para algodão e materiais sintéticos que não necessitam de grande uso de água para processamento, como tintas pigmentadas para algodão e sublimação para sintéticos. Uma chave para o sucesso para a Spoonflower é sua pesquisa & desenvolvimento, a qual busca as mais recentes soluções de impressão e fluxo de trabalho. A empresa também prioriza a manutenção e melhoria de sua infraestrutura de TI, a qual permite centenas de milhares de trabalhos a serem processados anualmente - de pequenos como quadrados 8x8” a múltiplos metros, de acordo com a necessidade do cliente. No mundo da customização em massa, a compra ativa a fabricação, que requer grande atenção do gerenciamento da loja e rastreamento da produção para garantir uma produção sem defeitos e reduzir a margem de erro.

Amazon (Merch)

Outra nova ferramenta poderosa é a Amazon Merch. Um dos maiores varejistas no mundo, a Amazon percebeu o potencial da impressão digital há muitos anos quando começou a imprimir livros sob demanda. Hoje, a Amazon é um investidor em companhias como Kornit, a qual fornece à empresa impressoras DTG (direct to garment - direta no tecido) que permitem a operação “impressão por compra” da Amazon Merch. Sem estoque, sem risco de inventário não vendido.

A Amazon oferece sua infraestrutura front-end para os empresários com designs e ideias e então fornece a habilidade de se beneficiar da infraestrutura de backend da Amazon para ter essas ideias preenchidas. Seus serviços apoiam tanto designers independentes assim como marcas de grande escala, como Disney e Marvel.

Usuários do Amazon Merch também conseguem grande vantagem do envio Prime, um dos serviços líderes de envio nos Estados Unidos, pois possui serviços gratuitos de envio em dois dias (e um dia). Dito isto, os vendedores do Amazon Merch terão que dividir seus lucros com a Amazon, ganhando apenas royalties com cada venda.

The Color Soup

Por fim, um exemplo de um fabricação têxtil tradicional com inovações no sangue: o grupo Miroglio, da Itália. Com muitas indústrias, a companhia opera em 22 países - fornecendo materiais e moda verticalmente integradas. A companhia utiliza a impressão inkjet de passada única desde o início em 2011 e também foi pioneira em preservação ambiental e design inovador. Em 2015, o grupo Miroglio criou o The Color Soup como um portal online para a criação e pedido de tecidos fashion de alta qualidade para qualquer um com acesso à internet.

Inovação tecnológica

Claramente, muitas dessas soluções inovadoras não seriam possíveis sem a inovação incansável na tecnologia de impressão na ciência dos materiais, com a última impulsionando o uso de vários tipos de tintas necessários para os melhores resultados em uma variedade de tecidos.

De corantes reativos usados para fibras naturais até tintas sublimáticas de alta e baixa energia, até aquelas tintas especiais para impressão Silk e nylon (ácidas), e o surgimento de novas gerações de tintas pigmentadas que podem imprimir na maioria de tecidos sem o uso intenso de água como é o caso com algumas tintas têxteis - um mundo de liberdade em cor e design se abriu. A impressão digital evoluiu do início dos anos 80, onde era usada apenas como prova e descartada, para impressoras que atingem a velocidade em passada única de até 90 metros por minuto. Com os sistemas de transporte específicos para têxteis, vimos o impacto das melhorias na confiabilidade das cabeças de impressão e redução de custo permitiram sistemas de produção de 1,8 a 3,2m e além.

De acordo com a pesquisa de previsão da têxtil digital anual de 2017 a 2022 da Keypoint Intelligence, cerca de 12 mil dispositivos de impressão digital que produzem tecidos para vestuário e decoração, serão instalados até 2022. Isto irá conduzir um efeito cumulativo de volume de impressão, alcançando cerca de quatro bilhões de metros quadrados de tecidos impressos.

Há muitos grupos de produtos na indústria de impressão de tecido, incluindo tecnologia de cabeçote de digitalização, passagem única e sistemas híbridos. Os sistemas mais comum são os com cabeças de digitalização não diferentes dos usados nos segmentos de sinalização & display. Na indústria têxtil, no entanto, isto alcança novas alturas para incluir em alguns casos até 12 canais de cores e mais de 64 cabeçotes de impressão para permitir alta produtividade de milhares de metros quadrados por hora. Muitos deles também usam um cinto que permite até mesmo o transporte de tecido de forma uniforme pela impressora.

A passada única, como o nome indica, aplica todas as cores em uma só passada. Com sua introdução em 2011 pela MS Printing, da Itália, agora parte da Dover Corporation, a passada única permitiu uma nova área de impressão de alta velocidade. Seguindo sua introdução, tecnologia adicional de passada única surgiu de muitos fornecedores e hoje a tecnologia é capaz de imprimir até 90 metros lineares por minuto. Os fabricantes desses sistemas estão trabalhando em múltiplas configurações de sistema de tinta, controle de qualidade inline, e outros vínculos com os padrões da Indústria 4.0.

Por fim, os sistemas híbridos - que combinam sistemas digitais e analógicos juntos. Com a introdução inicial na China, estes sistemas são capazes de aproveitar a impressão analógica serigráfica em sintonia com o sistema digital de passada única para colher os benefícios das duas tecnologias. Ultimamente, também vimos quadros analógicos de tela plana em linha com uma impressora de cabeçote de digitalização para formar uma forte integração entre a inovação em inkjet com o veterano processo analógico.

Um corte acima

No entanto, o principal obstáculo a ser superado por muitas empresas está nos últimos estágios do processo - a conversão do tecido em roupa. Cortar, costurar e inserir acessórios no vestuário ainda é um trabalho intensivo que ocorre principalmente em mercados de trabalho com baixa qualificação e salário, como o Sudeste Asiático, China e América Latina. Esse fluxo de trabalho atual necessita de um nível de proximidade entre as fábricas têxteis e as operações de costura.

À medida em que a automação invadir a força de trabalho ao redor do mundo, a indústria têxtil passará, sem dúvidas, por sua própria evolução. No entanto, é longo o processo de elaboração, tendo governos como dos Estados Unidos (através de sua Agência de Projetos de Pesquisa Avançada em Defesa (DARPA)) financiando projetos com o objetivo de automatizar o progresso da costura usando uma linha de montagem de vários estágios com máquinas e sensores de costura inteligentes. Esses sistemas, embora com mais etapas, podem superar as capacidades de produção humana devido ao seu potencial de produção sem paradas. Para unir os componentes do vestuário, os futuros fios usados para a costura podem ser digitalmente tingidos em tempo real usando tecnologia digital como da Twine (Israel), a qual está em produção com a fabricante de vestuário Delta Galil, produzindo tingimento digital de fios sob demanda.

A opinião do InfoTrends

Depois de muitas décadas de desenvolvimento, a impressão digital têxtil está tornando seu impacto visível no volume de produção de tecidos com 6% de participação e crescendo em ritmo de dois dígitos. Assim como muitos segmentos de impressão, este segmento industrial é parte de uma extensa cadeia de fornecimento com muitas facetas de fornecimento de matérias-primas, marcas, designers, produtores, corte & costura e serviços de logística. Garantir que o impacto ambiental seja minimizado e entregar produtos customizados são tendências constantes que estão massivamente impactando a indústria.

A tecnologia de impressão digital está sendo adotada tanto por fabricantes já estabelecidos assim como empresas empreendedoras que usam a infraestrutura da internet das coisas para iniciar os esforços de customização de massa para atender as demandas. Grandes marcas estão observando e buscando soluções que as permitam alcançar os principais objetivos de negócio - como alta qualidade, criação de produto consistente, redução de perdas e estoque, e satisfação da demanda do cliente por inovação em design e personalização.

Muitas das lições aprendidas na indústria de artes gráficas sobre consistência de produção e automação do fluxo de trabalho estão agora sendo adaptadas pelos fornecedores de equipamentos de impressão têxtil para usar em suas tecnologias. Dito isto, para criar um impacto significativo, a impressão digital vai precisar mover-se além de qualidade de impressão em baixas tiragens. Assim como os fornecedores integram design 2D e 3D que pode ser impresso diretamente em padrões de vestuário, veremos a automação em corte, costura e a integração de plataformas de fabricação vertical. Isto irá permitir que as pequenas fábricas surjam localmente e produzam material para os clientes em tempo hábil, sem mais precisar de terceirizações. Quando isto acontecer, irá provavelmente fazer parte do grande realinhamento da cadeia de suprimentos, que levará algum tempo para se materializar completamente.

Ron Gilboa

Ron Gilboa é diretor na Keypoint Inteliggence-InfoTrends, responsável por um time de profissionais que cobrem os segmentos da indústria, incluindo impressão sob demanda, embalagem, impressão em grande formato, impressão industrial, assim como fluxo de trabalho de produção. Ele é responsável por conduzir pesquisa de mercado, previsão de mercado, projetos de consultoria customizado, engajamento de planejamento e estratégia, assim como a criação de conteúdo editorial para produtos e relatório de análise de mercado. Participando da maior parte da década da Eastman Kodak Company, onde ocupou cargos de executivo de marketing, Ron retornou ao InfoTrends em 2013.