Sertha Brindes: inovação gerou grandes resultados na FESPA Brasil 2017

Sertha Brindes: inovação gerou grandes resultados na FESPA Brasil 2017

A Sertha Brindes é mais um caso de sucesso da parceria entre a APS Feiras, FESPA Brasil e empresas importantes do mercado de impressão. Presente nas iniciativas da APS desde 2014, a Sertha revolucionou o setor promocional com a máquina inventada por Sérgio Gotti, um visionário do segmento que busca a constante inovação dentro de sua empresa.

O diretor da Sertha Brindes fala sobre como foi a participação da empresa na feira: "O resultado da Sertha na FESPA Brasil 2017 nos surpreendeu. Vendemos mais de 100 máquinas e seguimos vendendo com os contatos feitos durante a feira. A FESPA levou um público extremamente selecionado. A gente atendia 10 clientes e os 10 clientes eram clientes em potencial, ou seja, profissionais do setor de impressão, que conhecem de processos e técnicas".

A Sertha Brindes possui 23 anos de trabalho, mas foi há cerca de quatro anos que Sérgio Gotti, com formação em Automação Industrial, trouxe uma novidade que mudou a sua participação no mercado: a máquina VICM19, voltada para o setor promocional. "Estava brincando com a máquina, fazendo testes, até que vi uma nova possibilidade. Testamos, fizemos vários protótipos, até que chegamos no resultado final".

No início, a máquina foi feita pensando em ficar na empresa para o processo de transfer dos produtos comercializados pela Sertha. Porém, a qualidade obtida na impressão fez com que os representantes começassem a pedir pela máquina; foi o passo necessário para que surgisse o equipamento.

Sérgio explica que o mercado promocional tem uma dificuldade que é a gravação. "O projeto nasceu porque tínhamos dificuldade para gravar e criamos o equipamento para a gente gravar. Isso acabou criando uma proporção diferenciada. Os clientes queriam a máquina e vimos que era um negócio". Anos depois, a Sertha já lançou várias gerações da máquina, sempre pensando em aprimorar seus aspectos.

De acordo com a empresa, um dos diferenciais da Sertha é o atendimento a todos os portes de empresa: "Nós começamos com a venda de uma caneta. Então sabemos dar valor ao pequeno empresário, atendemos clientes de todos os tamanhos. Acreditamos que todo cliente tem potencial".

O diretor da Sertha Brindes ressalta com o mercado em que atua vem crescendo: "O mercado de fotoprodutos eu costumava dizer que era uma criança recém-nascida; agora já dá pra dizer que está andando com as próprias pernas. O mercado brasileiro é muito bom neste segmento, já fui a outros países e posso confirmar que a visão empreendedora do brasileiro é um ponto que se destaca, além da necessidade trazida pelas questões econômicas".

Encontrar o empresário brasileiro é, inclusive, um dos diferenciais que pautam a participação da Sertha nas feiras da APS. "Nosso projeto nasceu há quatro anos e a APS faz parte disso pelas feiras que participamos. Estivemos na ExpoPrint Latin America 2014 e nas duas últimas edições da FESPA Brasil. A gente sempre mostra o nosso showroom e as máquinas de uma forma simples e eficiente, para um público direcionado", ressalta Sérgio.

Sérgio explica que a FESPA Brasil e a Sertha Brindes possuem uma parceria de sucesso, com o estande sempre cheio. "O mercado da FESPA veio no momento certo. A feira traz novidades a um público que está em busca de novas tecnologias e novos processos de impressão, especialmente quando falamos em personalização. É um excelente conceito ter empresários buscando novas tecnologias e horizontes para, dentro do processo dele que já existe e de uma empresa já montada, ter um conceito novo como diferencial. E é aí que nosso equipamento entra".

O criador da VICM19 destaca algo que um cliente disse que "se ganha com inovação, e não com cópias". "Por isso eu, Sérgio, decidi trazer algo novo ao mercado, que pudesse trazer a diferença para as pessoas. Recebo manifestações de pessoas que mudaram suas vidas e abriram novos horizontes após a aquisição de uma máquina minha. Esta é minha invenção e eu sigo buscando inovações para a VICM19. O nosso futuro é melhorar sempre o processo, controlar as variáveis, diminuir o custo e atingir mais pessoas. Quando a gente acha que não dá pra inventar, a gente vai lá e e inventa algo novo. Melhoramos o controle de temperatura, de pressão. E seguimos fazendo experiências por aqui", finaliza.