Revista GF celebra 15 anos de história na comunicação visual

Revista GF celebra 15 anos de história na comunicação visual

A Revista GF está completando 15 anos levando informação de qualidade ao mercado de Comunicação Visual. Nesta trajetória encabeçada pela empresária Luciana Andrade, a GF cresceu e hoje é o Grupo GF, com a revista, premiação, consultoria e participação nas principais iniciativas no setor do país.

Para destacar a enorme relevância da publicação para o setor, conversamos com Luciana Andrade, idealizadora e editoria da Revista GF desde a primeira edição até hoje. Ela conta como tudo começou, como o projeto avançou até hoje e ainda deu dicas aos profissionais de CV. Confira:

- Como foi a criação da Revista GF? Por que ela foi criada?

Em meados de 1998, vinda da área pedagógica, a convite do meu ex-marido, entrei na comunicação visual, nas primeiras empresas a terem a solução solvente no sul do Brasil. Me apaixonei perdidamente por este mercado, pelo meu trabalho, pela minha entrega. Fui evoluindo, estudando para levar o melhor aos clientes. Nascia ali um propósito de vida. Meu ex-marido, que atuava no mercado, começou a trazer lonas coreanas para o Brasil, na época era uma solução inovadora!

Porém, ele começou a ter dificuldades em comercializar as lonas por, de alguma forma, eu ser concorrente dos clientes dele. Eu precisava sair do mercado. Foi um rompimento extremamente doloroso para mim. Passei por momentos de muita tristeza por abrir mão da profissão que eu amava. Como eu gostava muito de estudar, ensinar, aprender e escrever, ele me deu a ideia de montar a Revista, pois não tínhamos uma publicação com foco exclusivo neste mercado no Brasil. Ali nascia a GF, na época, Grandes Formatos. Nome que ele deu. Então comecei a trabalhar arduamente no projeto. Em 1 ano saiu a primeira edição!

- O que continha a primeira edição?

Como eu vivia a realidade prática até então, a 1ª edição continha exatamente soluções estratégicas aos desafios que eu e as empresas de impressão em grandes formatos passávamos! Com a ajuda de profissionais especialistas em cada assunto, aquela abordagem deu certo! Falamos sobre os desafios para enfrentar concorrência, gerir pessoas, ajudar nas estratégias dos clientes, enfim, entrevistei até meus clientes para colocar como cases da primeira edição. Para os empresários foi algo que atendeu ao que buscavam. Para os fornecedores era um investimento estratégico estar na Grandes Formatos. Criamos até um mascote, na época, Zeca Vinil, com quadrinhos engraçados sobre os acontecimentos na produção!

 

- O quanto a indústria de comunicação visual e impressão digital avançou nesses 15 anos?

Em 2005/2006 tínhamos cerca de 800 empresas no Brasil com solução solvente. A indústria chinesa dos equipamentos ainda não havia entrado aqui. Foi necessário um ano de trabalho dedicado a encontrar estas empresas antes de lançar a Revista. Foi o maior desafio inicial. Os avanços foram acontecendo na medida em que as tecnologias inovadoras no mundo foram chegando. Por exemplo, em 1º de janeiro de 2007, a Lei Cidade Limpa devastou centenas de empresas de comunicação visual em SP. As que conseguiram se adaptar à nova realidade da publicidade na época, que vinha para o PDV, precisavam de tecnologia micropiezo para avançar. A tecnologia piezoelétrica inicial que tínhamos aqui não atendia este novo cenário por ter pontos de impressão muito grandes (72dpi). Entraram na época soluções em equipamentos com 720dpi! Para impressões que ficassem na altura dos olhos! Foi um avanço exponencial do mercado!

Depois disto, as tecnologias que iam surgindo permitiam abrir novos nichos de mercado. Os avanços com as tecnologias látex e UV são vistos até hoje.

- Existe alguma edição que você considera mais especial? Caso sim, por qual motivo?

Sou suspeita pois amo todas! São quase 200 nestes anos! Eu gosto muito do Especial MÁQUINAS, que já vai para 16ª Edição apresentando as vantagens estratégicas das tecnologias, com um mapa editorial com todos os equipamentos disponíveis no mercado, com comparação de cabeças de impressão, velocidade, etc. Acredito que esta edição ajuda realmente o empresário a escolher sua próxima impressora. Além de “Máquinas” gosto muito também da série “Loucos por UVs”, que traz os avanços que a tecnologia UV permite em cada categoria de equipamentos!

- O quanto a GF cresceu e o que o Grupo GF possui hoje além da Revista?

Sempre acreditei que a Revista foi um meio. Não somos Revista, somos um movimento estratégico para levar conhecimento e apoio aos empresários da comunicação visual. Por isto não sofremos com a queda das revistas impressas (graças a Deus!). Desde 2008 temos o Prêmio Bureau Criativo, em 2009 montamos o GF Profissional com cursos técnicos para o setor, entre Desafios de Marcas, eventos, lives, vamos construindo, nem sempre acertamos! Mas o propósito continua o mesmo, em “Compartilhar Estratégias” como está na capa da Edição de 2006!

Graças a Deus tudo foi sendo construído através das pessoas. Além das empresas, somos pessoas, e sempre tinha e tem alguém que valide nosso proprosito. Isto nos permite avançar no sentido de fazer valer cada iniciativa, pois cada uma delas tem um propósito claro. Hoje, posso ver claramente que tudo aconteceu e foi possível até agora por conta das pessoas a nossa volta. Parceiros de todos os níveis. Temos muitos parceiros! A APS, através do Ismael, Alexandre, Sandra, Tiago, Rafaela e todo o time nos ajudaram muito nesta caminhada! Enquanto Fespa, Expoprint ou Digital Imaging, o que impactou sempre foram as pessoas envolvidas com propósitos comuns, assim, nos tornamos um “movimento”! As pessoas que estão na GF sempre compartilham do mesmo proposito! Amamos as pessoas, nos doamos e fazemos juntos muitas iniciativas! Este mês, para brindar os 15 anos, teremos uma novidade! Um dos meus sonhos… estou muito feliz!

- Se você pudesse dar hoje um conselho ao profissional de comunicação visual, qual seria?

Identifique seu propósito profissional através da sua entrega! Estabeleça seu foco de atuação, encontre um nicho para se “doar”! A partir disto estude muito, mas muito mesmo! Por exemplo: se vai atuar com PDV estude sobre os impactos do PDV no comportamento de consumo, isto sim, vai ajudar seus clientes a venderem mais. Não olhe muito para seus concorrentes, os respeite e siga na direção da tua meta, com as tuas estratégias! Você têm uma “caixa magica de ferramentas para realizar sonhos”!