O corte laser no apoio à fabricação de máscaras

O corte laser no apoio à fabricação de máscaras

Produção das máscaras passa por elementos que são comuns no mundo da impressão e da comunicação visual, como as máquinas de corte

 

Para enfrentar a pandemia do COVID-19, muitas ações vêm sendo adotadas ao redor do mundo. Uma das principais necessidades é o uso de máscaras de proteção, especialmente aos profissionais de saúde, mas também para a população em geral.

A produção das máscaras passa por elementos que são comuns no mundo da impressão e da comunicação visual. Além das impressoras que estampam as máscaras de tecido de diferentes formas, as máquinas de corte vêm sendo muito necessárias para produzir as máscaras e os "face shields".

A FESPA Digital Printing 2020 possui uma série de expositores que possuem soluções que se encaixam na produção das máscaras e estão fazendo um grande trabalho, tanto em iniciativas próprias como através da atuação de seus clientes, para a máxima produção desses itens tão importantes para a saúde da população.

Nesta reportagem, conversamos com fornecedores e fabricantes de mesas de corte a laser sobre o panorama atual e mostramos como as máscaras são feitas. Abordamos também a importância de estar preparado tecnologicamente e como aproveitar momentos difíceis para pensar em diversificação.

As máscaras e o corte

Há dois "tipos" principais de máscaras. Uma delas é a de tecido, em materiais como TNT 60 e tecidos com pelo menos 600 fios. Elas vêm sendo utilizadas para que as pessoas possam se proteger quando precisam sair para adquirir algum serviço essencial. Ela oferece a possibilidade, por exemplo, de ser feita sob demanda e também com a possibilidade de estampas divertidas.

É o que destaca Koity Gomes, da Multivisi: "É importante utilizar os equipamentos para ajudar as pessoas. No caso das impressoras sublimáticas, os clientes estão fazendo estampas diferenciadas para sublimar as máscaras de tecido, para não ficar só aquele branco. Estão distribuindo máscaras com estampas mais alegres e divertidas para quebrar um pouco do gelo, elevando a auto-estima nessa fase ruim".

Estampas diferentes podem ser um diferencial, como as produzidas pelo time da Multivisi

 

Onde a máquina de corte laser faz quase "todo" o trabalho é nas máscaras chamadas de "face shield". Elas podem ser feitas com vários tipos de materiais, como PETG de 1mm, PVC cristal e acetato. Will Acosta, marketing da Cutmaker, explica: "A máscara protetora é feita a partir de PETG de 1mm, que é basicamente a combinação do PET com glicol, melhorando as propriedades do PET com um processo glicolizado. Já a máscara descartável é feita de tecido não tecido, popularmente conhecida como TNT".

Além da parte principal do "face shield", há a peça que vai em torno da cabeça, que pode ser feita de polipropileno ou algum derivado de plástico, com algumas exceções. O interessante é que, nesse caso, essas peças podem ser diretamente cortadas e inteiramente produzidas na mesa de corte ou, ainda, a parte em torno da cabeça pode ser feita através da impressão 3D, mais uma aliada nesse momento.

Equipamentos de corte a laser são essenciais para produção dos face shields, como os mostrados pela Cutmaker

A máscara é de rápida produção. Apesar de variar de acordo com o equipamento e modelo, demora de 1 a 3 minutos para cada uma ser feita. Cerca de um minuto para o corte e 3 para a montagem. Para isso, são necessárias as máquinas de corte laser com tubo laser de Co2. Normalmente, possuem um custo de operação baixo e cortam qualquer um dos materiais necessários para a confecção das máscaras.

A relevância da tecnologia

Em momentos difíceis, a tecnologia tem papel fundamental para encontrar saídas para ajudar a população. No caso da impressão e corte, elas são fundamentais para produção, customizada ou em massa, das máscaras. Ao conversar com expositores da FESPA Digital Printing 2020, praticamente todos que fornecem máquinas a laser ao mercado de comunicação visual estão com clientes produzindo máscaras em seus equipamentos de corte.

Para Michel Dornello, gerente de vendas da Multivisi, que possui os equipamentos Visutec de corte laser e impressoras para fazer as estampas: "As tecnologias de impressão e corte são imprescindíveis, pois são equipamentos fundamentais na confecção de máscaras, proteção para caixas de supermercados e farmácias entre outros utensílios. Cremos que mesmo após esse momento, as medidas preventivas serão adotadas como padrão ao mercado em geral, a fim de proteger não somente do COVID-19 mas de outros vírus".

Fernanda Alves, assistente comercial da Big American, concorda com essa visão: "A tecnologia de impressão e corte é fundamental para se alcançar produtividade e qualidade. Atualmente fabricamos produtos que tem por objetivo elevar a proteção do nosso consumidor, para isso é de extrema importância o uso de equipamentos eficientes de alta precisão".

Proteção é tópico essencial nesse momento, destaca o time da Big American

Para Will Acosta, da Cutmaker, "A tecnologia de corte a laser possibilita a produção rápida de equipamentos de proteção para a população e também para a área da saúde, como por exemplo as máscaras de tecido ou não tecido, ou em termoplásticos como o PETG, protetores em acrílicos para médicos usarem ao fazer entubação, desenvolvimento de protótipos usando impressão digital e, finalmente aliando corte a laser e impressão digital podem ser criados suportes para remédios - largamente utilizados em hospitais e farmácias".

Novos pensamentos de trabalho

A Due Laser, que possui a máquina de corte Due Flow, considera a tecnologia de impressão e corte mais importante do que nunca, "pois agora a produção local e sob demanda é o que vai mover a nossa economia. Depois dessa crise as pessoas vão dar cada vez mais importância à produção local de insumos", relatou Luiz Carlos Piangé de Lima Filho, diretor da Due Laser.

Produção local pode ser tendência, conforme aponta a Due Laser

 

Edmar Pereira, Diretor Comercial da ECNC Máquinas de Corte a Laser, fala de como é essencial se moldar à necessidade do mercado rapidamente: "Hoje em dia é normal ver uma empresa com um ano ou menos de fundação que já se destacou no mercado pelo seu crescimento exponencial justamente pela velocidade que o mercado exige que aconteça hoje em dia. Vimos uma grande necessidade dos nossos clientes de buscarem lojas virtuais para oferecer seus produtos hoje devido a essa pandemia. E isso é legal, o Brasil precisa investir muito nas compras pela internet. Ainda estamos muito atrasados nesse sentido".

Pereira completa: "O mais legal de tudo isso é que nossas máquinas permitem que as pessoas trabalhem em casa com ela. Muitas vezes a pessoa tem um quartinho no fundo de casa produzindo essas máscaras em grande quantidade. No final dessa pandemia eles não vão ficar parados pois terão uma estrutura pronta, talvez até uma loja virtual pronta para vender aquilo que eles nunca imaginaram que poderia ser sua fonte de renda".

Novas possibilidades podem surgir após essa crise, ressalta o time da ECNC

Cristiano Guerra, supervisor comercial da BG Soluções, que comercializa a marca Zünd no Brasil, relata que a maioria das empresas de comunicação estão usando suas Zünd na fabricação de máscaras: "Em sua maioria, as face shields de PTG ou PVC cristal. Existem diversas empresas de outros setores como calçadista e têxtil que estão usando as máquinas Zünd para produção de máscaras de tecido e TNT. Recebemos inúmeros contatos usuários Zund pela satisfação com a versatilidade do equipamento. Muitos que estavam sofrendo com a parada conseguiram se reinventar e passar a produzir itens de EPI e segurança contra o Coronavírus. Isso só foi possível pela versatilidade do equipamento e por essas empresas terem adquirido essa capacidade. Tivemos casos de clientes, mesmo com a crise, buscarem novos equipamentos conosco para aumentarem sua capacidade produtiva nesses itens. São fatos que além de nos deixar contentes, nos dão um pouco de esperança em relação ao futuro".

Os diferenciais em momentos de crise

Momentos de grandes incertezas e transformações levam a novos pensamentos e métodos de trabalho. O objetivo é entender o momento e atuar para levar as melhores soluções ao mercado, pensando até se diferenciar e buscar novas possibilidades.

Para Fernanda Alves, da Big American, "Nesse momento, o mercado está focado na fabricação de Equipamentos de Proteção Individual. Para que nosso produto ganhe visibilidade, é fundamental o alto padrão de qualidade e manter o relacionamento pós-venda. Acreditamos que o feedback sempre será um dos diferenciais no mercado, abre portas para novas possibilidades de inovação e suprimento de possíveis necessidades".

Ela traz para a reportagem o caso da Silkstar Sinalização, fabricante de sinalização e equipamentos para carga perigosa de Limeira (SP). "Mediante a necessidade do mercado, agregamos em nossa linha equipamentos de corte a laser para fabricação de protetores faciais e máscaras. Com isso, conquistamos um público diferente do habitual e novo espaço no mercado", conta o sócio-administrador da empresa David William da Silva.

A Due Laser conta que possui clientes fazendo máscaras em suas máquinas e fala da importância de rever conceitos: "São nesses momentos que reavaliamos nossa estratégia e nossa contribuição para a sociedade como um todo. A cooperação se torna cada vez mais presente. Estamos todos nos reinventando e o importante é tentar contribuir ao máximo para que todos possamos sair melhores dessa situação", diz Luiz Pinagé. Citando cooperação, a própria Due Laser promoveu uma doação de máscaras em Santa Catarina.

Michel Dornello, da Multivisi, trata da reinvenção: "Vivemos um momento ímpar não somente no Brasil, mas mundial, onde estamos sendo afetados na área comercial/econômica, além é claro da área da saúde. Porém, em momentos de crise, precisamos nos reinventar e buscar solução para o momento, e quando olhamos com esse foco percebemos que independente do momento sempre existirão oportunidades. Precisamos então de uma flexibilidade para inovar e trazer para o mercado não somente um produto, mas a solução ao momento e às necessidades que surgem a cada dia". Seus equipamentos já vêm sendo usados para a fabricação de máquinas, como demonstra esta matéria.

Pela ECNC, Edmar relata o quanto as pequenas cidades e empresas mudaram suas ações: "A facilidade de acesso a esse tipo de equipamento ajuda muito e é essencial para a rápida entrega dessas máscaras. Temos clientes de cidades minúsculas em lugares mais afastados onde não existe um transporte rápido que já estão produzindo essas máscaras desde o início da pandemia entregando em hospitais e postos de saúde sem depender de grandes indústrias para isso. Coisa que se não tivesse uma máquina de corte a laser provavelmente estaria com dificuldades para receber uma máscara dessas".

Para Cristiano Guerra, da BG, se diferenciar é vital, mas reforça: "As empresas precisam estar capacitadas para essa transformação ou se capacitarem. Muitos que estavam acostumados a produzir mais do mesmo se viram em uma situação muito difícil por não terem recursos para se diferenciar. Outros tantos que estavam bem preparados com soluções e equipamentos, rapidamente conseguiram se adaptar e acharem nichos que estão lhes rendendo bons frutos mesmo no momento de crise".

Companhias que estiverem capacitadas sairão na frente em momentos de transformação, frisa a BG

No caso das máquinas de corte, elas acabaram se tornando um elemento fundamental, como explica Will Acosta: "Acreditamos que as máquinas de corte e gravação são ferramentas úteis para produzirmos inovações e permitir a fabricação de produtos a baixo custo, tornando esse acesso democrático e inclusivo. Hoje, com a pandemia do Coronavírus, nos vemos mais uma vez dispostos a colaborar para superarmos juntos essa fase. Para isso, oferecemos atendimento prioritário e urgente para todos os colaboradores que estão utilizando máquinas de corte e gravação a laser para a fabricação de materiais como máscaras descartáveis e protetores faciais, que são essenciais para o combate ao vírus".

FESPA Digital Printing 2020

As empresas citadas na matéria - Big American, BG Soluções, Cutmaker, Due Laser, ECNC, Multivisi e - estão todas confirmadas para a FESPA Digital Printing 2020, principal evento de impressão digital do país, que ocorre de 23 a 25 de setembro no Expo Center Norte, em São Paulo. Será o momento de conhecer a mais alta tecnologia em corte a laser para a produção de infinitos produtos. Faça a sua inscrição gratuita para visitar a feira em: www.fespadigitalprinting.com.br/visitar.

Se a sua empresa fornece ao mercado equipamentos de corte a laser, a FESPA Digital Printing 2020 pode ser a grande oportunidade de destacar como seus produtos podem entregar um diferencial aos profissionais e empresários da indústria de impressão. Entre em contato com nosso time de vendas para mais detalhes.