Releases

Fórum FESPA Digital Printing reúne profissionais de impressão digital para debater o mercado

09/12/2019

A quarta edição do Fórum FESPA Digital Printing compartilhou informações relevantes sobre impressão digital nas cidades de Blumenau (SC) e São Paulo (SP). Especialistas transmitiram aos participantes novos conceitos e números atualizados sobre o mercado e suas possibilidades.

O diretor da FESPA Digital Printing, Alexandre Keese, tratou nas duas cidades das oportunidades no digital, especialmente no têxtil. A apresentação teve como base os números do FESPA Print Census, a principal e mais completa pesquisa sobre o setor de impressão digital.

Alexandre Keese reforçou que a indústria de impressão continua forte, o que mudou foi a forma de consumo. O empresário precisar estar atento às transformações na sociedade e o impacto dentro do setor para seguir oferecendo aplicações relevantes e de qualidade aos clientes.

Dentro deste tópico, o empresário deve entender que o foco tradicional da indústria vem se moldando e que passa a oferecer não mais apenas produtos, e sim soluções que atendam às necessidades de seus clientes, através de operações mais otimizadas e tecnológicas.

O cliente da empresa de impressão - através de uma demanda puxada por seu cliente final - quer impressos personalizados, independente do segmento, seja na impressão comercial, têxtil ou qualquer outra, para que sua mensagem seja extremamente assertiva. Isso leva também à possibilidade de se imprimir em uma diversidade maior de materiais.

Esta necessidade traz um novo pensamento: o que era produção em massa vira customização em massa. É preciso lembrar que o cliente “não compra o impresso, e sim o que ele proporciona”. E a tecnologia de impressão digital é o grande facilitador para essa transformação e esse novo modo de pensar.

O digital e o impacto no têxtil

O cenário descrito acima por Alexandre Keese durante o Fórum FESPA Digital Printing tem ligação direta com a indústria têxtil. A customização vem se tornando fator essencial, puxado pelo fast-fashion e o novo mundo dos influenciadores, em que a peça, no dia seguinte em que o famoso aparece com ela em suas redes sociais, precisa estar nas vitrines.

Tal necessidade trouxe uma transformação: tradicionalmente, havia primeiro a produção e com ela era gerada a demanda, com as pessoas querendo aquela peça que viram nas vitrines das lojas; agora, há uma mudança do jogo, primeira a demanda é gerada (seja através das passarelas ou dentro do mundo dos influenciadores), para depois a produção existir.

Para atender a este novo modo de agir da sociedade, e estamparia digital aparece como a melhor opção. Sua capacidade de produções em tiragens menores, de forma customizada, faz com que os custos logísticos caiam por conta da redução do estoque, reduzindo perdas.

É importante ressaltar que, tanto na indústria têxtil como em outros mercados, o digital não chega para substituir e encerrar com a tecnologia analógica. Ela é um facilitador para a criação de novos produtos e abertura de novos negócios, para que as empresas atendam o cliente em sua totalidade, independente de qual será a sua necessidade do momento.

Keese ressaltou ainda o uso do tecido para diferentes possibilidades. No vestuário, vem sendo usado na alta costura das passarelas, no fashion, na área esportiva com materiais cada vez mais tecnológicos e no DTG (direct to garment) para as camisetas e outros itens customizados. Em decoração, é visto em cama, mesa, banho, papel de parede, cortinas e outros itens. Por fim, no segmento mais industrial, registra avanço com a sinalização - o soft signage - oferecendo a vantagem de ser mais sustentável, luxuoso, leve e fácil de transportar e armazenar.

Print Census

O diretor da FESPA Digital Printing compartilhou as principais descobertas do FESPA Print Census, a mais completa pesquisa do mercado de impressão digital, produzida pela FESPA em parceria com o InfoTrends, conceituada companhia no ramo de pesquisas. Foram 1,4 mil participantes de 102 países, tendo entre eles o Brasil com forte participação, entre as nações com mais entrevistados.

Uma das descobertas da pesquisa é que o setor segue otimista, especialmente em relação aos seus negócios. As empresas estão conseguindo ir além do produto e faturar com serviços agregados, como gerenciamento e logística, o que abre novas oportunidades.

A melhor logística será fundamental para atender entregas cada dia mais “just in time”. Isso traz a necessidade de otimizar as trocas de trabalho e produzir mais trabalhos conjugados, estando sempre pensando em melhorar o planejamento de produção. Em relação aos produtos, há um aumento do mix de impressos oferecidos, buscando variadas aplicações para ir direto à necessidade do cliente.

Outro destaque do Print Census está no alto crescimento do têxtil. Entre os impressores focados em têxtil, 56% têm feito investimentos em digital, e 19% planejam fazer nos próximos dois anos, mostrando as excelentes oportunidades nesse nicho.

Por fim, vale ressaltar que a sustentabilidade possui uma força cada vez maior, puxada pela demanda dos clientes finais. Isso deve ser algo ainda mais poderoso no futuro, pois os jovens estão muito atentos ao modo como os produtos que consomem são produzidos. Na pesquisa, a maioria dos entrevistados ressaltou que conseguiu oferecer produtos sustentáveis sem que isso trouxesse um impacto negativo nas receitas.

Alexandre Keese finalizou resumindo pontos que devem ser considerados. O primeiro é que os novos hábitos de consumo mudam o tempo todo, o que traz uma transformação em como produzir e em toda a logística da impressão. A “geração eu” quer produtos personalizados de acordo com seus desejos. Na internet, as redes sociais têm alto impacto no que será produzido (como nos “looks” da área têxtil) e o e-commerce é uma ferramenta que precisa estar no radar de todos os impressores. E os consumidores vão pedir por impressos prontos com prazos menores e produzidos tendo como base os conceitos de sustentabilidade.

Conteúdo de qualidade

Em Blumenau, o Fórum FESPA Digital Printing contou com a apresentação de Felipe Simeoni, Gerente de Marketing e Inteligência de Mercado na Global Química & Moda, com o tema “Inove, Imprima e Impressione”. O foco foi mostrar as diversas maneiras de se inovar. Felipe ressaltou que é preciso ir além de criar algo novo, mas de fato mudar a forma como se trabalha dentro do segmento, conhecendo bem o mercado e assim produzir uma proposta diferente dentro dele, para que seja realmente eficiente - e lucrativo.

Simeoni demonstrou exemplos de inovação para inspirar os presentes a revolucionarem em seus segmentos. Em um cenário tão desafiador como o brasileiro, é preciso que o empresário tenha uma mente pensante, conhecendo a dinâmica de seu mercado e o que o seu equipamento pode produzir de aplicações que sejam realmente diferenciadas, únicas e que ofereçam uma nova proposta de valor ao cliente. É o caso do têxtil, em que os novos meios de consumo oferecem propostas diferentes.

A cidade catarinense também recebeu Adriano Vieira, Business Developer Textile da Durst, que ministrou uma palestra com o tema “Pigmento digital como ferramenta de sustentabilidade”. O especialista mostrou que a tinta pigmento é uma opção relevante para o empresário que deseja transformar o seu método de produção.

A tinta pigmento é um dos principais elementos para conseguir reduzir o uso de água no processo de produção, preocupação constante dentro da indústria têxtil como um todo. Assim, os presentes receberam um panorama completo de conceitos de tecnologia, números e dados, inspiração e cases de sucesso.

Em São Paulo, Diego Genari, Gerente de Desenvolvimento de Tintas América Latina, abordou “Sustentabilidade em impressão digital têxtil”. O especialista também ressaltou que o aumento da demanda cresce, o que vem levando aos investimentos em digital.

Há empresas, explica Diego, utilizando o digital para produzir uma baixa quantidade de peças, que são levadas às vitrines e, com um retorno positivo, sua produção é aumentada; se o retorno for negativo, a peça não é mais produzida. Genari ressaltou que o processo simplificado da impressão digital têxtil, especialmente no uso de tinta pigmento, leva não só à rapidez como também na economia do uso de água.

As novas tecnologias na estamparia digital atingem mais e mais substratos diferentes, aumentando o nível de sustentabilidade e oferecendo uma ligação direta como tecnologias como o tecido que pode ser rastreado para que o consumidor final saiba de onde aquela peça veio e como foi produzida.

Aprovação dos participantes

O Fórum FESPA Digital Printing 2019 contou com participantes de diferentes partes do Brasil e de diferentes mercados, recebendo avaliações positivas. De acordo com o empresário Jefferson Aguiar, de Campinas (SP), “Adorei o evento, muito bem organizado e adorei a forma em que foram abordados os temas, o momento da impressão digital, a perspectiva de mercado e suas evoluções, inclusive dando "insight" à própria 4ª revolução industrial na qual estamos passando com a automatização e as novas demandas de mercado sobre o que e como o cliente quer”.

A mesma visão tem Márcio Ramos, consultor estratégico comercial de Santos (SP): “O conteúdo do evento foi muito bom, vejo grandes mudanças em nosso parque industrial, pois quem não se preparar para essas mudanças, ou melhor, preocupar-se com o meio ambiente vai ficar para trás, a indústria 4.0 está aí e já até se fala em 5.0. Vejo muitas oportunidades de negócios. A indústria Têxtil vem a muito preparando-se. Em suma, acho que estes eventos só engrandecem nossos conhecimentos, são importantes. Quem não acompanhar, principalmente o meio ambiente, não fará negócios.”

O empresário Mario Mello, de Santo André, relatou: "Participar do Fórum FESPA Digital Printing sempre é um prazer, porque além de prover informações importantes e que são baseadas em números e nas tendências de mercado, também permite encontrar os colegas de profissão para trocar experiências profissionais."

Bene Leone, diretor de estratégia de Capivari (SP), disse: “Foi muito bom! As informações que nos foram transmitidas verdadeiramente irão nos ajudar a nortear nossa estratégia para o próximo ano”. Ricardo Marcelino, consultor comercial de São Paulo (SP), relata: “Foi muito proveitoso. Saber um pouco mais do mercado e das tendências. Como sou influenciador, toda a informação que vem a somar é útil no meu dia a dia em vendas.”

Conclusão do Fórum FESPA Digital Printing

A etapa final do Fórum será dentro da FESPA Digital Printing 2020, a principal feira de impressão digital do país, que acontece de 18 a 21 de março no Pavilhão Azul, do Expo Center Norte, em São Paulo. A feira vai mostrar inovações da impressão digital em comunicação visual, têxtil, rótulos, envelopamento, decoração, sublimação & transfer, impressão de dados variáveis, impressos de alta relevância e muito mais. As inscrições para a feira podem ser feitas em: www.fespabrasil.com.br/pt/visitar/cadastro.


General Information

March 24-27, 2021
Wednesday to Friday, from 13h to 20h
Saturday, from 10h to 17h

* Expressly prohibited entry for children under 16.

* Entry is prohibited for visitors wearing shorts, sleeveless shirts, slippers and flip-flops.

Expo Center Norte - Blue Pavillion
R. José Bernardo Pinto, 333 - Vila Guilherme
São Paulo - SP - Brazil

For further information about visiting, register or talks:
Glenda Lyra
Tel:+55 (11) 4013-7979
Email