• Artigo: Gerenciando a cor em um workflow de grande formato
03
Aug
2017

Artigo: Gerenciando a cor em um workflow de grande formato

A indústria de impressão em grande formato foi rápida em adotar o gerenciamento de cor como uma forma de enfrentar a grande variedade de impressoras, tintas, mídias, RIPs e configurações.

Um dos principais objetivos para o gerenciamento de cor é tirar o máximo positivo do dispositivo de impressão usado para imprimir o trabalho. Para um designer ou gerente de projeto, isto pode ser um desafio porque, nos estágios iniciais do design, é muito comum não saber nem a impressora nem o substrato que serão usados.

Isto significa que a arte deve ser criada para que as separações de cores e os ajustes finais de cor possam ser feitos assim que o dispositivo de impressão, tinta e substratos sejam conhecidos de última hora.

Isto é importante porque ele te dá a flexibilidade para fazer escolhas que se encaixam em seu projeto. Se você fizer as separações de cores para as imagens e outros elementos na arte muito cedo, você pode estar usando um perfil ICC que tem um gamut limitado de cor e você não pode mudar facilmente de ideia depois.

Assim que as corem forem convertidas para o CMYK, o gamut máximo é limitado para essas cores CMYK. Mesmo que seja tecnicamente possível converter de um gamut CMYK para outro, o número de valores de tom e a gradação das imagens foram compactados na primeira conversão, e isto nunca pode ser totalmente reconstruído.

Nós sugerimos manter suas fotos em um gamut largo, tipicamente RGB, na fase de design. Adobe RGB é um espaço de cor bem definido e um pouco maior do que os principais dispositivos de impressão podem reproduzir, então ele é bem adequado. Use isto como o gamut de cor padrão para fotos.

Há outro popular espaço de cor RGB, sRGB, mas este é muito menor do que o Adobe RGB, e menor do que o gamut que muitos dispositivos de impressão de alto nível podem reproduzir. Então, embora popular em aplicações de consumo, nós não recomendaríamos usar o sRGB em workflows de impressão de alta qualidade, especialmente para impressão digital de grande formato onde os gamuts de cor podem ser bem altos.

Traçado e outros elementos de design, especialmente cores de marca e logos, podem ser produzidos com cores especiais, chamadas spot colours, na fase de design mesmo se eles acabarem sendo impressos apenas como CMYK. O princípio aqui é apenas converter spot colours para CMYK quando, e se, necessário. Desta forma, a precisão de cor para cores de marcas será a mais precisa possível para a combinação específica de dispositivo de impressão, tinta e substrato usados.

Muitos dos mais recentes dispositivos de impressão em grande formato oferecem um gamut maior de cor do que os métodos de impressão convencional (com serigrafia, flexo e litho offset), por isso seria um pouco vergonhoso reduzir seu gamut de cores para suas impressões digitais no início, convertendo seus trabalhos para impressão analógica convencional sem intenção.

Faça a pré-visualização das cores usando um software de prova preciso

 

Ao contrário do que muitos devem pensar, atualmente é possível pré-visualizar as cores impressas de forma precisa, incluindo muitas das spot colours. Mas você precisa de um monitor de alto nível e calibrado para isto, como por exemplo o monitor SpectraView Reference da NEC.

A melhor forma de prever a precisão de cor de um projeto específico é, claro, pedir uma prova impressa em cores, usando a impressora e os substratos que de fato serão usados para a produção final, ou uma impressora digital de ponta calibrada e configurada para a produção de provas precisas.

Mas, para economizar tempo, você pode prever seu trabalho com as cores precisas no monitor desde que você tenha acesso a um monitor adequado para prova de alto nível. Estes tipos de monitor usados são bem, bem caros, talvez cinco vezes o custo de um monitor normal de escritório.

Mas atualmente você pode conseguir um monitor muito bom de uma seleção de fornecedores especializados como BenQ, Eizo e NEC, em preços razoáveis. O preço de um monitor normalmente inclui software de calibração e um colorímetro, assim como um aba protetora para proteger a tela de um ambiente de perturbações de luz e reflexos.

Assim que o monitor esteja calibrado para coincidir com Adobe RGB, por exemplo, você pode solicitar o seu projeto e retocar o software para simular as cores que vão se parecer na impressão ao aplicar um perfil ICC para a impressão e combinação de tinta/substrato.

Seu fornecedor de serviço de impressão saberá o que é isso, ou deve saber se eles são tão experientes em cores como se espera, e podem colaborar. O pequeno custo adicional para um monitor adequado de prova irá em breve se pagar, desde que ele forneça uma pré-visualização precisa de cor de seu projeto, e irá te ajudar a evitar reimpressões caras e irritantes no futuro.

Gerenciamento de cor aplicado economiza tempo e reduz perda

 

 

Se você precisa converter spot colors em CMYK, não faça isto até o último momento. A ilustração mostra o espaço de cor de cores especiais únicas se comparado ao convencional offset, e muitas spot colours estão fora da gama do CMYK.

Salvar sua imagem, logo e arte originais em uma espaço amplo de gamut de cor te dará flexibilidade. Você pode otimizar seu trabalho até o último momento possível para tirar o máximo proveito do processo de impressão utilizado, mesmo se você trocar o substrato, tinta ou impressora em um estágio mais tardio. Isto é chamado de trabalhar em um "espaço de cor independente de dispositivo" enquanto a intenção da produção ainda não foi definida.

A conversão de cor não deve acontecer até o real processo de impressão, incluindo as tintas e substratos que serão usados, tenha sido decidido. Uma forma prática de lidar com isso é fazer as conversões de cor quando exportar a arte para um PDF de alta resolução.

Apenas se certifique que as spot colours estão preservadas realmente como spot colours e não convertidas para CMYK, se você souber que as impressões serão produzidas usando cores especiais. Se estiver em dúvida, pergunte ao departamento de pré-impressão da empresa como fazer isso. No entanto, eles devem preferir receber os arquivos nativos de você para que eles mesmos façam aqueles ajustes de última hora na arte.

Há alguns outros ajustes também, por exemplo, trapping, sobreimpressão e imposições que devem ser mais seguras para serem entregues a um operador experiente de pré-impressão. Mas seguindo as diretrizes sugeridas, você tem ao menos que preparar o seu projeto o melhor que você puder para permitir que o trabalho seja impresso da forma mais otimizada e bem-sucedida.

Embora o gerenciamento de cor para produção de impressão digital não possa ser dita como uma tarefa fácil, não é magia negra nem é impossível de entender. Um gerenciamento de cor propriamente aplicado te dará a tranquilidade que a cor que você vê em seu monitor calibrado será o que você espera na impressão; assim você vai economizar tempo, evitar atividades desnecessárias de tentativa e erro, e reduzir material e tempo perdido.

Por FESPA Staff

Fonte: FESPA.com