• Artigo FESPA: Por que a cura LED está ganhando espaço em grande formato
04
Sep
2017

Artigo FESPA: Por que a cura LED está ganhando espaço em grande formato

Por Nessan Cleary publicado em FESPA.com

Uma das principais tendências da FESPA Hamburgo deste ano foi o uso generalizado de cura LED em grande formato.

Um dos principais avanços da tinta de cura UV é que ela seca instantaneamente, então não há necessidade de esperar para as tintas desgaseificar, o que significa que as impressões podem ser laminadas e enviadas de imediato.

As tintas de cura UV dependem de uma reação química, conhecida como fotopolimerização, em que os elementos se fundem quase que instantaneamente, simultaneamente juntando a imagem ao substrato e formando um acabamento que é resistente à corrosão e intempéries ao ar livre.

Esta polimerização é desencadeada por fotoiniciadores dentro da tinta, os quais produzem radicais livres quando expostos à luz UV. Os principais componentes destas tintas são monômeros e oligômeros, os quais os radicais livres causam reticulação entres eles para curar a tinta.

A abordagem convencional tem sido o uso de lâmpadas de mercúrio localizadas no carrinho de impressão para fornecer esta fonte de luz, mas muitos vendedores estão agora indo para o LED como uma fonte de luz alternativa.

LED é a sigla para Light Emitting Diode, que significa “diodo emissor de luz” - e é basicamente um semicondutor que produz luz quando conectada a uma corrente elétrica. Na verdade, esta não é uma nova tecnologia, apesar de sua adoção na indústria de impressão para cura UV ser relativamente recente.

Hoje a cura LED é usada em muitos processos diferentes de impressão, incluindo impressoras flexo e offset, assim como dispositivos digitais como impressoras de rótulos e, é claro, grande formato. O poder dos LEDs melhorou drasticamente nos últimos anos e isto está fazendo com que mais vendedores busquem usar a cura LED.

Houve um problema em que as tintas tiveram que ser muito afinadas para garantir que houvesse energia o bastante para desencadear os fotoiniciadores para curar a tinta. Ben Woodruff, gerente de vendas da Inktec Europe, relata: “Levamos 50 formulações diferentes para produzir nossa tinta LED”.

“Esta é a principal razão pela qual você vê tantos equipamentos com cura de mercúrio. Isto é porque a tinta não está largamente disponível, mas sendo uma fabricante de tinta nós temos o luxo de ser capaz de fazer nossa própria tinta”. Dito isto, à medida que mais LEDs poderosos se tornam disponíveis, mais fabricantes de tinta estão buscando pelos desenvolvimentos de tintas de cura UV LED.

Há muitos benefícios práticos, incluindo uma economia considerável de energia, equivalendo a um custo de propriedade muito menor. Reinhilde Albert, gerente de produto da linha Jeti da Agfa, estima que um sistema LED irá usar 50% menos de energia do que lâmpadas de mercúrio, explicando: “Com LED as lâmpadas só estão ligadas quando estão imprimindo”.

Outra vantagem é que os LEDs têm uma vida útil muito maior, visto que um semi-condutor é um material sólido, então eles não são propensos a desgastar. Muitos fabricantes vão citar ao menos 10 mil horas, e muitos afirmam que os LEDs vão durar até 20 mil horas.

Como as lâmpadas não precisam estar ligadas para a impressão de fato, isto significa efetivamente que a maioria dos usuários não irá necessitar trocar suas lâmpadas LED por toda a vida útil da impressora. Albert adiciona: “Nós temos também um sistema mais duradouro porque a lâmpada por si só é mais simples e não necessita de persianas ou espelhos, então há menos partes para trocar”.

Também vale a pena notar que, desde que não há degradação das lâmpadas ao longo do tempo, você obtém seu desempenho total até o ponto que elas falharem, ao contrário de uma lâmpada convencional que tem de ser monitorada e trocada à medida que o desempenho diminui.

As impressoras ainda não precisarão ser aquecidas até sua temperatura de operação, mas as lâmpadas por si só não precisam manter a temperatura. Como resultado, mais vendedores reportam diminuição considerável de tempos de preparação, sem necessidade de esperar as lâmpadas aquecerem novamente se as máquinas estiverem paradas por um curto período.

Woodruff diz que as lâmpadas produzem muito pouco calor, adicionando: “A vantagem principal do LED é a gama de substratos e a habilidade de imprimir em plásticos e coisas as quais são sensíveis ao calor em passadas múltiplas sem ter que se preocupar sobre deformação do substrato. Então, algo como uma foamboard poderia se levantar se tivesse muitas passagens”.

Ele diz que isto também ajuda a melhorar a produtividade geral da impressora porque há menor necessidade de remover os substratos para conter o efeito de ondulação, visto que há menos calor. Isto reduz o risco de quebra de cabeças e dano subsequente às caras cabeças de impressão.

Tudo isso se soma a uma solução mais amiga do meio ambiente, com menor consumo de energia e potencialmente menor perda. Albert acrescenta: “É mais verde porque você não tem mercúrio e você não produz muito ozônio”. Isto também significa que não há necessidade de se preocupar em relação à ventilação do gás ozônio.

Uma vantagem adicional é que as lâmpadas LED são mais claras e, como geralmente estão localizadas no carrinho de impressão, perto das cabeças, isto significa que há menos peso em todo o carrinho de impressão. Isto traz um menor nível de vibração que a impressora tem que lidar, o que permite melhor qualidade de imagem nas maiores velocidades. E adiciona o benefício que é mais barato para construir um sistema mais leve, o que ajuda a reduzir o custo total da impressora.

Albert diz que o feedback dos clientes é extremamente positivo, adicionando que a Agfa não teve que desistir de nada em termos de desempenho e qualidade de imagem. Ela diz: “Nós dissemos que nós não daríamos nenhum passo atrás em termos de qualidade de imagem porque era o nosso ponto de venda especial, então eu estou muito confiante que a vivacidade da cor é idêntica ao que nós tínhamos com mercúrio”.

Ainda há uma questão sobre o uso de LEDs em algumas das máquinas mais rápidas no mercado, que dependem do menor número de passes para manter a sua velocidade. Mas pelas vantagens desta abordagem, nós devemos ver mais vendedores trazendo ao mercado impressoras grande formato de cura LED UV, assim como mais LEDs poderosos e uma gama ainda maior de tintas que se adequam ao processo.

Fonte: FESPA.com