• Artigo: Entendendo calibração e perfis de cor
02
Oct
2017

Artigo: Entendendo calibração e perfis de cor

Por Paul Lindstrom publicado na FESPA.com

Embora um número de surpreendente de operadores e designers continuem gastando uma grande quantidade de tempo e materiais “tentando alcançar as cores certas”, isto deveria ser realmente um processo bastante simples atualmente.

Não há como contorná-lo: se você quer gerenciar cores - seja em sua tela ou em sua impressora - você precisa investir em um espectofotômetro. Você usará isto nos dois principais passos envolvendo gerenciamento de cor.

O primeiro passo é uma calibração base do dispositivo. Quando você tiver certeza que o dispositivo está um estado estável e previsível, você exibe ou imprime um test form, e mede as cores que o dispositivo está produzindo agora. O resultado é salvo como um perfil ICC, e isto irá dizer ao Sistema de Gerenciamento de Cor (CMS), dentro do sistema operacional em seu computador, Mac ou PC, como gerenciar as cores de seu dispositivo. No fim das contas, não é mais complicado que isso.

Porém, você irá, é claro, precisar de algum software para fazer isto, e talvez seja este o problema com o gerenciamento de cores. Há uma vasta gama para escolha de software, e eles muitas vezes parecem complexos e complicados para usar. Mas seja corajoso e um pouco teimoso, e você se sairá bem.

Há muitos livros escritos sobre este tema, mas infelizmente nem todos eles são totalmente precisos, e podem confundir mais do que ajudar. Um que nós podemos recomendar é o Manual do Gerenciamento de Cores: Um Guia Prático por Adams, Sharma e Suffoletto - é um clássico e passa pelos conceitos básicos, assim como algumas das coisas mais avançadas.

Mas vamos passar pelos dois passos principais - calibração e criação de perfis - um pouco mais em detalhes, e isto deve te ajudar a começar com o gerenciamento de cores aplicado.

Consistência e calibração

Há, na verdade, um passo antes da calibração que precisa ser verificado, para ter certeza que você terá uma resultado repetido e estável de seu dispositivo. Você precisa garantir consistência. Para uma tela de monitor, isto significa que você precisa garantir que seu ambiente tem uma luz estável e adequada.

Evite fontes fortes de luz que podem causar brilho na tela (não sente em uma janela com luz do sol forte), e, idealmente, tenha uma capa de sombreamento no monitor.

Para uma impressora colorida, você precisa checar que todos os bicos estão claros e trabalhando e se você puder verificar e otimizar o registro dos bicos, você deve fazer antes da calibração. Evite variações na temperatura e umidade - elas irão afetar no resultado impresso. Para alcançar a mais alta qualidade possível na impressão, você deve precisar usar ar condicionado controlando temperatura e umidade.

Agora você pode imprimir um test form para checar se a impressora produz todos os valores de tons de forma linear, o que significa que 50% de ciano vai realmente sair em 50%, etc. Caso contrário, use o software para ajustar isto. Para um monitor, esta calibração é feita no software, ao medir os valores de tons na tela e ajustando se necessário, para que o monitor produza uma reprodução suave de todos os valores de tom.

Perfis (chamados na verdade caracterização)

Quando a impressora está calibrada é hora de imprimir um Colour Chart representando todas as cores na gama de cor esperada que a impressora pode produzir. Na linguagem de gerenciamento de cores isto é chamado de caracterização, porque você mede este Colour Chart impresso com um espectofotômetro, os dados de medição irão descrever as características da impressora.

O perfil, porque o perfil-ICC é criado baseado neste dado de cor, não irá corrigir nenhuma das cores, as contrário do que é normalmente dito sobre perfis ICC. Em vez disso, a tabela de cor que reside dentro do perfil ICC é usado quando se converte cores de um espaço de cor para outro.

Normalmente, isto será quando você converter suas imagens em RGB para o espaço de cor de sua impressora, principalmente o espaço de cor CMYK. O CMS dentro do seu computador calcula a correspondência mais próxima, usando a tabela no perfil ICC de sua impressora, correspondendo a cor em sua imagem. Este é o motivo pelo qual isto é tão importante ao usar o perfil ICC quando você prepara seu design para saída de produção.

Se você não tiver certeza de que é melhor manter as imagens em RGB, sugerimos Adobe RGB visto que é uma maior gama de cores, e deixar a impressora converter ao CMYK na etapa de saída de produção. Melhor ainda é pedir à companhia de impressão o perfil ICC que eles sugerem para aquele trabalho.

Isto depende principalmente sobre qual substrato o trabalho será impresso e sobre qual tinta será usada. O papel e a tinta são dois fatores principais que determinam a gama de cor que pode ser alcançada.

A beleza de conhecer as características exatas de um determinado dispositivo de saída é que, conhecendo qual perfil ICC usar quando imprimir em um substrato específico, é que você pode prever o resultado final.

Usando o Adobe Creative Cloud, você pode prever com grande precisão de cor como as cores e fotos vão se parecer, assumindo que você está com um monitor calibrado de qualidade razoável. Ou você pode usar sua impressora de cor calibrada como uma prova, simulando exatamente o que as impressões finais vão se parecer.

Mais e mais impressoras coloridas têm agora a opção de ter um espectofotômetro integrado na impressora - isto irá te economizar muito tempo, tanto em calibrar o dispositivo como validar o resultado impresso (checando se a impressora está em conformidade com o padrão que você quer alcançar).

Todos os sistemas RIP profissionais têm um módulo de Gerenciamento de Cor - aprenda como usá-lo em profundidade. Ou você pode comprar uma solução de gerenciamento de cor para complementar - há muitos ótimos no mercado, pergunte ao fabricante de sua impressora qual solução eles acham que trabalha melhor com seu modelo.

Usar um gerenciamento de cor aplicado desta forma irá te economizar muito tempo, te dando a satisfação de saber, sem adivinhar, o que as cores irão parecer quando impressas. Este é o controle de qualidade em seu melhor, e irá te ajudar a permanecer dentro do orçamento ou mesmo economizar algum dinheiro aqui e ali.

Sobre o autor

Paul Lindstrom entrou na indústria de artes gráficas em 1980, primeiro como um tipógrafo e designer gráfico, e depois como gerente de produção. Ele atua como Editor Técnico Sênior da Digital Dots e é um de seus fundadores.

Em paralelo, ele leciona no Departamento de Artes Gráficas nas Universidades de Malmö e Copenhagen. Desde 2008, Paul é um auditor credenciado UKAS para certificações ISO 9001 e ISO 12647. Ele também é um especialista designado para ISO TC130, o comitê técnico internacional responsável por criação de padrão ISO para a produção de mídia de impressão.

Fonte: FESPA.com