• Artigo: Como otimizar a resolução para alcançar a mais alta qualidade de impressão
26
Sep
2017

Artigo: Como otimizar a resolução para alcançar a mais alta qualidade de impressão


Artigo FESPA.com

A maioria dos mecanismos de impressão de grande formato tem o potencial de produzir excelente qualidade de saída, tanto em termos de resolução como gama de cor.

Mas para alcançar a mais alta qualidade possível todo dia, as companhias de impressão devem fazer preparações antes do dispositivo ser instalado para estabelecer as principais condições para seu desempenho.

Todos os mecanismos de impressão em grande formato são verificados por técnicos de instalação para ter certeza que eles sejam colocados em uma superfície estável e uniforme. No entanto, as impressoras mesa plana de grande formato vão se beneficiar bastante de um piso extremamente nivelado, sólido, super-uniforme e especialmente preparado.

Isto é pra garantir a colocação exata das gotículas nos substratos em altas velocidades, porque qualquer desigualdade leve do piso será transmitida para a cabeça de impressão quando ela viajar rapidamente sobre a superfície. Se as gotículas não forem colocadas com a precisão micromética, a qualidade de imagem em termos de nitidez será comprometida.

Isto é um pouco como tentar dirigir um carro rápido em uma superfície irregular, as vibrações serão mais perturbadoras e vão impedir o desempenho geral. Os fabricantes de impressoras digitais podem recomendar o que eles consideram ser uma superfície ideal e como prepará-lo antes da instalação.

Os três principais componentes externos que podem ter um efeito negativo na qualidade de imagem são vibrações, níveis incorretos de calor e níveis incorretos de umidade no ambiente. Então, além de otimizar as condições de piso, quaisquer causas adicionais e vibração precisam ser abordadas e a temperatura e umidade manter-se estáveis ao longo do tempo de acordo com as recomendações do fabricante.

Como regra geral, uma impressora digital desempenha melhor na mesma temperatura e umidade que os humanos preferem, cerca de 20ºC e uma umidade de cerca de 50-60%. Temperatura e umidade são, até certo ponto, inter-relacionadas, então tente e mantenha pelo menos um, e idealmente ambos, em condição estável. A umidade dever ser bem superior a 30%, ou tanto o staff como os equipamentos de impressão irão sofrer.

O staff irá sofrer com as passagens de ar seco, as quais podem ser prejudiciais a longo prazo, e os dispositivos de impressão irão mostrar uma tendência de produzir bandas se a umidade for baixa demais. Em baixos níveis de umidade, há também o risco que os efeitos negativos do antiestático irão começar a ter impacto.

Otimize as configurações da impressora para o substrato

Uma das vantagens da produção de grande formato digital é a versatilidade que ela oferece em relação aos substratos que podem ser usados. Mas isto também representa um desafio, visto que cada substrato precisa de configurações de saída customizadas e otimizadas para garantir o nível de qualidade, especialmente em velocidade.

E se você usa tintas cura UV você deve ter certeza que o processo de cura está totalmente completo, ou você não apenas terá problemas com mancha de tinta, mas a tinta pode ser tóxica quando não está totalmente curada. A quantidade de tinta depositada no substrato também deve ser otimizada para garantir o maior gamut possível de cor.

Por outro lado, você não deve depositar tinta demais, visto que isto irá causar todos os tipos de problema, não apenas de tempos maiores de cura ou secagem, mas também pode criar efeitos visuais negativos, como bronzeado, por exemplo. O “bronzeado” resulta no excesso de tinta de modo que, por exemplo o preto, você tem uma aparência “bronze” nos sombras profundas, onde os pigmentos na tinta criam uma camada superior que parece como bronze quando secar lentamente e/ou incompletamente.

Uma vez executado todos os fatores que compõem uma calibração da impressora, baseado na combinação específica de tinta e substrato, os dados devem ser salvos para uso futuro em uma biblioteca de cor. Esta biblioteca, construída ao longo do tempo, deve conter todos os metadados necessários para repetir tipos específicos de trabalhos e alcançar novamente e novamente exatamente os mesmos resultados.

Isto é às vezes chamado de Perfil de Cor, mas ele é mais do que o real perfil ICC para um determinado substrato. Um perfil ICC é um conjunto de dados que caracterizam dispositivos de entrada e saída de cores ou espaço de cores.

O Perfil de Cor em um contexto de sistema de produção abrange todos os parâmetros necessários para produzir um resultado impresso repetido e otimizado, incluindo informação sobre qual test form deve ser usado quando calibrar, usando um substrato específico em uma impressora específica.

Atualizar e aprimorar estes perfis de cor é um processo sem fim, mas é fundamental se você quer impressões consistentes de alta qualidade de todos os seus dispositivos e para todos os tipos de substrato.

O fator humano

É bom dizer que, para cada substrato e impressora, deve haver uma configuração disponível específica em algum lugar no sistema para ser reutilizada quando necessário. Mas a realidade é que, na maioria das empresas de impressão, há uma gama de impressoras digitais de diferentes idades e marcas, e elas frequentemente entregam seu próprio tipo e modelo de servidor de impressão, ou Raster Image Processos (RIP).

Então, do ponto de vista do operador, o desafio é que cada RIP tem sua própria interface de usuário, às vezes similar a outra, mas ainda assim diferente. Isto pode, infelizmente, aumentar o risco de erros do operador, o que vai adicionar custos para os negócios porque demanda mais treinamento e manutenção do que se apenas um único sistema RIP ou sistema workflow fosse usado para todos os dispositivos de impressão digital na empresa.

Isto pode não ser alcançado imediatamente, mas deve ser um objetivo a ser alcançado ao longo do tempo. Usando um único sistema de workflow para todos os dispositivos, tanto o treinamento como operação podem ser mais eficientes, e reduz o risco de falhas e erros humanos. Isto também ajuda a estabelecer uma biblioteca central de Perfis de Cor e, portanto, vai ajudar a melhorar qualidade geral, assim como ajudar a aumentar a produtividade e eficiência.

Leia sobre novas tecnologias

Há alguns outros setores dentro das artes gráficas que evoluem tão rápido como o setor de impressão digital de grande formato. Isto significa que há sempre novas tecnologias em oferta, tanto em termos de substratos, tintas e dispositivos de impressão.

Para ter a melhor tecnologia disponível para o trabalho em mãos, e poder oferecer a mais alta qualidade possível para seus clientes, em velocidade e eficiência, é necessário observar atentamente os desenvolvimentos contínuos de tecnologias de impressão.

Portanto, fique informado, visite feiras do setor, leia a imprensa da área e relatórios de testes, visto que isto também é parte do esforço para manter e aumentar a qualidade de impressão.

Fonte: FESPA.com